sábado, 28 de fevereiro de 2015

Sabedoria em série #29


"Não importa o quanto algo nos machuca,
 às vezes se livrar dele dói mais ainda."

Grey's Anatomy

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Mecanismo de defesa

Às vezes o coração da gente fica apertadinho. Pequeno como um grão. São nessas horas que a gente sente como se fosse morrer de depressão. E o aperto é tanto que faz faltar até o ar.

Com o tempo percebemos que é nosso mecanismo de defesa exercendo sua função vital. Com o coração expulsando vagarosamente nossas dores numa tentativa até poética de se reconstituir.


Assim, quando ele retornar ao tamanho normal, estará livre de tudo que for sofrimento e poderá se encher só de amor novamente.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Fuel

Sabe nos antigos jogos de corrida quando seu carro ficava quase sem gasolina e você se desesperava para pegar alguma latinha de combustível perdida na pista e assim ganhar mais tempo de jogo?


Então, na nossa realidade são os amigos que desempenham o papel da 'latinha de combustível'. Sempre que algo ruim nos acontece e estamos quase morrendo basta um abraço deles para conseguirmos mais vida.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

But it's easier said than done...

Todos dizem: "você tem que se distrair", "tem que sair mais", "conhecer outras pessoas".

Olha, posso dizer, nada disso resolve. Não permanentemente. Porque ou você passa todo o seu tempo se distraindo ou desista. Na primeira oportunidade pós-distração tudo que você tenta não pensar ou sentir estará lá ainda.

Então, vou te dizer, aguente. Aguente firme. Há um tempo - ainda desconhecido - para cada um de nós processar cada perda. Passe esse tempo como preferir, mas não deixe de sentir o que for pra sentir, doer o que for pra doer. Porque, com exceção de alguns bons sentimentos, nada mais dura para sempre. E a melancolia há de passar.


"They say nothing lasts forever
Well, I wish that that were true
Cause this aching in my heart won't go away..."

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Deixa eu te dizer...

Tudo foi real. 

O bem que te desejo é apenas uma pequena prova do amor mais sincero e verdadeiro que cultivei. E se as circunstâncias não se apresentam favoráveis para nós no momento, não quer dizer que um dia não voltarão a ser. Seja lá quem for que o destino nos apresente, quem quer que nos acompanhe, quem quer que siga conosco pelo resto de nossas vidas. Nada impedirá os bons ventos de nos aproximar outra vez. Em outra situação, provavelmente, mas nos aproximarão sim. Because...

Tudo é real. 

Enquanto esse dia não chega (e mesmo depois), sigo desejando que sejamos felizes o máximo de horas possíveis por dia. A paz seja nossa morada e o amor seja sentido constantemente. E, como dizem naquele livro, que a sorte esteja sempre a nosso favor.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Mas o coração continua...

Consolo na praia

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humor?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento…
Dorme, meu filho.


Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Fé no réveillon pessoal

Um desejo cortante
Uma esperança agonizante

A crença que com a virada anual
A paz volte ao meu coração aflito