quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Outro outono


Entre um livro e outro
A constatação: tudo pode mudar
De um outono a outro

O que me conquistou

Foi a simplicidade. O jeito que você  sempre me deixou à vontade.

Foi o desejo de te proteger. A vontade de não deixar nunca mais alguém te magoar.

Foi a conversa. Horas passavam como segundos. As noites pareciam dia.

Foi a cumplicidade, a troca de olhares que me diziam o que fazer.

Foi a segurança. A certeza de ter um abrigo.

Foram os planos em conjunto e os desejos de realizar todos.

Foi o toque. Cuidadoso, amável e seguro.

Foi o beijo. Gostoso, quente, amoroso.

Foi o andar. Apressado, sexy, ousado... Que me fazia querer acompanhar.

Foi a fortaleza e a fragilidade. A determinação e a preocupação.

Foi a voz. O tom e a pronúncia particular de determinadas palavras.

Foi o sorriso. Às vezes alto, às vezes tímido, sempre tão bonito.

Foram os olhos, curiosos e sinceros.

Foi o rosto. Ora corado, ora sereno, sempre lindo.

Foram as pernas torneadas, firmes e esbeltas.

Foram os braços. Que transformavam abraços em lar.

Foi o cheiro. Foi a pele. Foi a maneira de dançar.

E foi assim que você me conquistou... Agora daria tudo para descobrir como te conquistei. Refaria passo a passo para, quem sabe assim, poder te reconquistar e trazer você de volta pra mim.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Transição



TUDO

é

TRANSITÓRIO.


Tudo é breve, nada permanece. Nem o que fica, pois tudo se modifica.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Sobre a falta


Saudade é um pouco como fome.

Difícil não querer mais quando se está faminto da presença...

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Só mais uma do amor

Uma das coisas que aprendi nessa vida é que amor não acaba assim de uma hora pra outra, da noite pro dia. Amor permanece, cresce mesmo sem alimento. Amor fica mesmo quando a parte amada vai embora.

É besteira, tolice, criancice acreditar que depois do fim a gente vai dormir como se o amor nunca tivesse existido ali. Porque o amor dura e dura é a vida de quem o evita.

A gente muda o amar e o amor muda também. Se transforma em outra forma de sentimento que aos poucos vai minguando e a gente vai se adaptando ao que sobra.


Eu costumo amar até o fim porque amor tem um pouco de esperança. Amando até a última gota sinto tudo que amar pode proporcionar. Da urgência da presença até a negligência na ausência. Vivo essa delícia e essa dor de estar in love com o meu amor.

domingo, 12 de outubro de 2014

Era pra ser uma foto


Ocupação da madrugada: procurar fotos da infância. A busca cessa nas pastas mais recentes. No meio de tanta fotografia estão também as lembranças...


sábado, 11 de outubro de 2014

Processo


Às vezes a gente só quer ter esperança. Quer acreditar que o momento ruim é passageiro e que logo as coisas voltarão a se encaixar. É um teste de fé. Esperar. Esperar. Esperar. 

Ninguém sabe quanto essa espera ainda vai durar. Precisamos aproveitar o tempo de quarentena para curar nossas dores, secar nossas lágrimas e resistir.

No fim, por mais doído e difícil que seja, devemos aceitar o que ficar e o que partir. Para entender que, tanto um quanto outro, foi porque era pra ser...  Sem culpa. Sem arrependimento. Sem ressentimento.


Sei que falando assim até parece fácil, mas o processo é longo, exaustivo, sofrido e cheio de armadilhas e vacilos pelo caminho... Mas vamos em frente. Fé sempre.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Três letrinhas


Toda vez que você diz NÃO querendo dizer SIM é uma chance a MENOS de tentar ser MAIS feliz.

Sim, a gente nunca sabe quantas chances tem...

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Metade


Meu amor partiu
Me dividiu em dois
E eu acostumado a ser nós
Passei a ser só 

Agora tenho que conviver com a saudade 
E a vontade de vê-la em toda parte

Sem ela tudo é vazio
Não há saída, não há brio
Sem ela minha vida se parte, 
E sou só metade do que um dia fui