quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Enfim, o trecentésimo sexagésimo quinto

Olha, vocês vão me desculpar, mas esse ano não passou rápido coisa nenhuma. Cada dia pareceu uma semana. E pela quantidade de acontecimentos é difícil pensar que foi tudo no mesmo ano. Parece que estamos em 2014 há dez anos.

Ainda bem que, pela graça do Divino, chegamos no 365º (trecentésimo sexagésimo quinto) dia. Amanhã a contagem recomeça. E, particularmente, quero deixar 2014 esquecido entre outros anos pesados passados.

Com os melhores sentimentos desejo que o universo conspire a nosso favor para fazermos de 2015 um ano muito melhor, independente da velocidade que passem os dias.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Desejos para o novo ano


Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão
Onde houver discórdia, que eu leve a união,
Onde houver dúvidas, que eu leve a ,
Onde houver erro, que eu leve a verdade,
Onde houver desespero, que eu leve a esperança,
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria,
Onde houver trevas, que eu leva a luz.

Mestre, fazei que eu procure mais
Consolar que ser consolado
Compreender que ser compreendido
Amar que ser amado
(...)

Oração deSão Francisco

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

De Natal

Papai Noel, falei que não pediria nada nesse Natal, mas será que ainda dá tempo acrescentar meu desejo na lista?

Não se preocupe, não vai precisar fabricar nada. O que eu quero é muito simples. Não é caro, na realidade não tem preço.

Sabe aquele presente que quis ano passado? Então, acho que houve um equívoco de vossa parte. Um esquecimento ou talvez só uma confusão. 

O amor, eu sinto, está aqui, mas... O senhor já deve saber. Então, enfim, será que dava para rever seus registros e atender minha prece? Obrigada.

Feliz Natal, com carinho, 

Aflavis.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Gratidão musical


O saldo foi tão positivo para mim que, entre outras tantas coisas boas, adicionei Coldplay e Stone Sour na minha lista de bandas preferidas. Obrigada por isso também. Espero ter conseguido retribuir de alguma forma.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Sabedoria em Série #28

"Mas não importa o quanto tentamos, temos que perceber que 
algumas coisas não podem ser consertadas."

Grey's Anatomy

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Tive a sorte de um amor tranquilo...

Eu vivi um grande amor. E por mais natural que possa parecer tal afirmação, quero enfatizar que eu vivi um grande amor.

Um amor dos mais lindos e tranquilos que já existiu. Sabe a exceção? Então. Não há como negar que foram os melhores anos da minha vida até aqui.

Amor, cumplicidade, carinho, amizade, respeito, desejo... Não faltava nada. Foi assim por muito tempo, queríamos que fosse pra sempre, mas havia prazo de validade e não sabíamos.

E embora parecesse que não ia acontecer com a gente, um desequilíbrio nos fez duvidar se poderíamos continuar. Como em um terremoto, foi difícil ficar de pé.

Veio o sofrimento e o medo... Como seria a vida sem aquele pedaço de felicidade constante? Por isso pensar em terminar a relação foi tão dolorido.

Uma parte de dentro da gente queria continuar. Tentamos, mas tinha sempre a outra dolorida parte. Como duas metades não formam dois inteiros. Terminamos.

No início foi um estranho estar sem estar, depois fui me acostumando e me adaptando as circunstâncias nada amigáveis que se apresentavam...

Após um "intervalo", estou novamente disposta a reaprender a viver com esse grande amor de outra forma. Confesso que não é fácil. É um exercício diário que vez em quando beira o impossível.

No entanto, tenho que me virar com o sentimento remanescente dessa história de amor da melhor forma possível para poder seguir adiante sem medo de ser feliz outra vez.


Seremos.

sábado, 6 de dezembro de 2014

Sabedoria em Série #27

"Sem perdão,

antigos placares nunca empatam, 


velhas feridas nunca fecham."


Grey's Anatomy

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Nada vale tanto quanto

Um beijo pra quem vive de saudade
Uma viagem pra quem é de travessia
Um episódio inédito pra quem é fã de seriado
Um quilo a menos pra quem é de dieta

Um abraço durante o soluço do choro
Um chocolate na TPM
Uma pessoa pra contar sempre
Um telefonema em tempo de whatsapp

Umas férias pra quem é atarefado
Um lugar pra chamar de lar
Um romance pra amar e ser amado
Ter pra onde ir e pra quem voltar

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Sinto muito

Olha, sinto muito tua falta. Sinto mesmo.

Sinto falta do som da tua risada, da tua voz.

Sinto falta de saber como foi o teu dia e te contar o meu. 

Sinto falta do teu beijo, do teu cheiro, do abraço, da tua pegada.

Sinto falta do leite com toddyde dividir último pedaço contigo. 

Sinto falta das cócegas (mesmo), de dormir e acordar ao teu lado. 

Sinto falta do café da manhã contigo, dos encontros, dos planos, dos sonhos.

Sinto falta de você na minha vida e, sobretudo, de nós na vida.

Só não sinto pudor algum em admitir toda a falta que você me faz.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Do que é feita uma saudade


Às vezes a saudade é feita de sorrisos. Noutras vezes de raiva. E em outras, de lágrimas. A ausência e a lembrança estão sempre presentes. O amor nem sempre. Às vezes é justamente dele que se sente falta.

Algumas vezes a saudade é feita de luto. E muita vezes é feita de culpa. Talvez o mea culpa seja o sal/açúcar de boa parte das saudades por aí. Mas ter saudade é ter certeza que algo bom aconteceu. E que daríamos tudo para repetir. Saudade também é feita de desejo.

De qualquer maneira, seja de qual for o sentimento que a saudade é feita, e mesmo que já se tenha 90 anos, ninguém quer viver só de saudade. Por isso saudade também é feita de esperança...

O primeiro de todos


Uma máquina do tempo para voltar os dias exatamente para outro três.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Bobagem


Na ponta dos dedos, em gadgets ou na ponta do lápis. Contar o tempo é sempre uma forma de perdê-lo...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

domingo, 30 de novembro de 2014

Sabedoria em Série #26


Bem, todos os dias Deus coloca algo bom em sua vida. Aproveite-a e deixe o resto ir embora.

FlashForward

sábado, 29 de novembro de 2014

Excesso de sentimento


Ando carregando muito peso no peito. Além de muito amor, os níveis de saudade estão elevadíssimos... O que acaba acumulando um bocado de tristeza também.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Sabedoria em Série #25


A vingança nunca é plena: mata a alma e a envenena.

Descanse em Paz, Chaves! E muito obrigada.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Pesado


Esperança pesa. E quanto mais a gente a carrega mais se cansa do seu pesar.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Sonho e sensações


Sonhei que grudava chiclete no meu aparelho dentário e que ao puxar o chiclete o aparelho saía todo. Sensação estranhíssima de liberdade.

Saí correndo pra mostrar a alegria de me livrar daquele aperto pra todos, mas ninguém notava o que me faltava nos dentes.

Acordei e lembrei que já não uso aparelho nos dentes há muito tempo. Sensação estranhíssima de gratidão.

domingo, 23 de novembro de 2014

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Lembranças


Lembrança boa é aquela que a gente quer repetir e sabe que poderá a qualquer momento. Todas as demais só servem para deprimir.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Tem muita gente e tem você


Tem muita gente covarde
Gente estúpida e bruta

Tem muita gente falsa
Que não vale uma rima nem ao menos um poema

Tem muita gente que não vale a pena
Gente sacana e 'pequena'

Tem muita gente que quero ver longe
Gente besta e ruim

Mas também tem você...
Que é o tipo de gente que quero pra sempre perto de mim.


Me ajuda a ganhar umas Bics?

E quem sabe ainda levo uma passagem pra França. ;)



# Link para votar na minha caneta bic: http://bicse.com.br/#/minha-bic/7751
Votos até dia 12/12/14.

Muitos beijos e agradecimentos aos que já votaram. Quem ainda for votar, merece o mesmo. Aos outros apenas beijo. ;)

domingo, 9 de novembro de 2014

Sabedoria em Série #24


"Queremos que pensem o melhor de nós. Então, às vezes, escondemos coisas para nos proteger. Mas não devíamos ter medo. Porque a verdade é sempre uma coisa boa. A verdade nos liberta, nos aproxima."

Modern Family

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Fixação


Nem por um minuto desviar o pensamento ou duvidar do desejo. 
Que assim seja até fazer acontecer.


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

"Desejo mesmo de mudar"


Mudam os tempos, mudam as vontades. (Ou aprimoram-se.) E a vontade passa a ser necessidade.


quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Outro outono


Entre um livro e outro
A constatação: tudo pode mudar
De um outono a outro

O que me conquistou

Foi a simplicidade. O jeito que você  sempre me deixou à vontade.

Foi o desejo de te proteger. A vontade de não deixar nunca mais alguém te magoar.

Foi a conversa. Horas passavam como segundos. As noites pareciam dia.

Foi a cumplicidade, a troca de olhares que me diziam o que fazer.

Foi a segurança. A certeza de ter um abrigo.

Foram os planos em conjunto e os desejos de realizar todos.

Foi o toque. Cuidadoso, amável e seguro.

Foi o beijo. Gostoso, quente, amoroso.

Foi o andar. Apressado, sexy, ousado... Que me fazia querer acompanhar.

Foi a fortaleza e a fragilidade. A determinação e a preocupação.

Foi a voz. O tom e a pronúncia particular de determinadas palavras.

Foi o sorriso. Às vezes alto, às vezes tímido, sempre tão bonito.

Foram os olhos, curiosos e sinceros.

Foi o rosto. Ora corado, ora sereno, sempre lindo.

Foram as pernas torneadas, firmes e esbeltas.

Foram os braços. Que transformavam abraços em lar.

Foi o cheiro. Foi a pele. Foi a maneira de dançar.

E foi assim que você me conquistou... Agora daria tudo para descobrir como te conquistei. Refaria passo a passo para, quem sabe assim, poder te reconquistar e trazer você de volta pra mim.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Transição



TUDO

é

TRANSITÓRIO.


Tudo é breve, nada permanece. Nem o que fica, pois tudo se modifica.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Sobre a falta


Saudade é um pouco como fome.

Difícil não querer mais quando se está faminto da presença...

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Só mais uma do amor

Uma das coisas que aprendi nessa vida é que amor não acaba assim de uma hora pra outra, da noite pro dia. Amor permanece, cresce mesmo sem alimento. Amor fica mesmo quando a parte amada vai embora.

É besteira, tolice, criancice acreditar que depois do fim a gente vai dormir como se o amor nunca tivesse existido ali. Porque o amor dura e dura é a vida de quem o evita.

A gente muda o amar e o amor muda também. Se transforma em outra forma de sentimento que aos poucos vai minguando e a gente vai se adaptando ao que sobra.


Eu costumo amar até o fim porque amor tem um pouco de esperança. Amando até a última gota sinto tudo que amar pode proporcionar. Da urgência da presença até a negligência na ausência. Vivo essa delícia e essa dor de estar in love com o meu amor.

domingo, 12 de outubro de 2014

Era pra ser uma foto


Ocupação da madrugada: procurar fotos da infância. A busca cessa nas pastas mais recentes. No meio de tanta fotografia estão também as lembranças...


sábado, 11 de outubro de 2014

Processo


Às vezes a gente só quer ter esperança. Quer acreditar que o momento ruim é passageiro e que logo as coisas voltarão a se encaixar. É um teste de fé. Esperar. Esperar. Esperar. 

Ninguém sabe quanto essa espera ainda vai durar. Precisamos aproveitar o tempo de quarentena para curar nossas dores, secar nossas lágrimas e resistir.

No fim, por mais doído e difícil que seja, devemos aceitar o que ficar e o que partir. Para entender que, tanto um quanto outro, foi porque era pra ser...  Sem culpa. Sem arrependimento. Sem ressentimento.


Sei que falando assim até parece fácil, mas o processo é longo, exaustivo, sofrido e cheio de armadilhas e vacilos pelo caminho... Mas vamos em frente. Fé sempre.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Três letrinhas


Toda vez que você diz NÃO querendo dizer SIM é uma chance a MENOS de tentar ser MAIS feliz.

Sim, a gente nunca sabe quantas chances tem...

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Metade


Meu amor partiu
Me dividiu em dois
E eu acostumado a ser nós
Passei a ser só 

Agora tenho que conviver com a saudade 
E a vontade de vê-la em toda parte

Sem ela tudo é vazio
Não há saída, não há brio
Sem ela minha vida se parte, 
E sou só metade do que um dia fui

terça-feira, 30 de setembro de 2014

O preço


"O preço que se paga as vezes é alto demais. É alta madrugada, já é tarde demais pra pedir perdão, pra fingir que não foi mal..."

Agora me resta lidar com as consequências 
e procurar ficar em paz comigo.

domingo, 21 de setembro de 2014

Hipóteses

Eu tão isósceles
Você ângulo
Hipóteses
Sobre o meu tesão
Teses sínteses
Antíteses
Vê bem onde pises
Pode ser meu coração
Leminski

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Para onde vai o amor?

[ Ou o que eu poderia (queria) ter escrito ]

Quando deixo de amar, não fico aliviado, eu fico triste. Porque é se despedir de uma grande parte da própria vida, é se desapegar de um sentimento que julgava único.

É triste deixar de amar. Profundamente triste. É sacrificar a personalidade, é nunca mais usar um jeito de reagir e de falar, nunca mais usar um jeito de beijar e de abraçar, nunca mais usar um jeito de transar e ser feliz.

Passo a pensar: onde foi parar todo aquele amor? Onde é que ele se escondeu? Será que desapareceu ou apenas está dormindo?

Será que terminou mesmo ou é fingimento para suportar a falta? Será que minto para mim para não sofrer tanto?

Será que o amor é um segredo disfarçado de fim? Será que a minha solidão agora é soberba? Será que meu contentamento é uma cilada? Será que me embriaguei de palavras e esqueci o caminho de volta?

Onde estão aquelas declarações apaixonadas? Em que parte distante de mim, já que não sobem mais aos olhos?

Para onde foram a algazarra da convivência, os passeios, as viagens, as mãos dadas, os risos, a cumplicidade das festas, as brincadeiras, o sono de conchinha, as conversas até tarde?

Para onde foram a ansiedade, o ciúme, a saudade, o desespero de não ver mais, as implicâncias ruidosas, as concordâncias silenciosas?

Para onde vai o amor após sumirem as fotos, os quadros, as mensagens de texto, os bilhetes de flores?

Quando não há mais dor para sinalizar onde se mantinha o amor. Quando não há mais desespero para apontar onde se guardava o amor. Quando não restam lápide, campa, cicatriz, rua, aliança para ostentar sua lembrança.

Em que parada de Porto Alegre desembarca a comoção perdida? Qual a estação em que o amor acena e evapora? Que planeta, que dimensão, que oceano?

Ou ele se transforma numa mania nova, num modo de suspirar, de virar o rosto, de mexer as orelhas?

Ou ele se converte em cinismo religioso, em maldade com os palhaços, em ironia com noivos, em raiva de qualquer save the date dos amigos?

Para onde vai o amor depois do amor? Me fale, por favor. As lágrimas, quando secam, permanecem eternamente na pele? Não sei. Mas meu rosto está cada vez mais salgado.

Fabricio Carpinejar

sábado, 13 de setembro de 2014

Matéria-prima


Amor, então também, acaba?
Não, que eu saiba.
O que eu sei é que se transforma
Numa matéria-prima
Que a vida se encarrega
de transformar em raiva.
Ou em rima.

Paulo Leminski

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Foi só o tempo que mudou


A gente tinha tanta sorte
Podíamos desafiar até a morte 

Era só darmos as mãos
E passávamos por tudo sem sofrer um arranhão

Sua alegria era a minha
E vice-versa

No mundo não existia
Outro casal tão feliz

Mas quis o destino que o passado virasse nosso verbo
Deixando nosso 'para sempre' com cara de pretérito

E nosso amor foi lindo porque não acabou
Foi só o tempo verbal que mudou

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Desativar conta...


"Esperamos que você volte em breve!"

Foi assim que o Facebook e eu nos despedimos. Daremos um tempo. Talvez eu volte hoje à noite, amanhã pela manhã ou somente ano que vem. Por agora, que é o que importa, recados e afins somente por e-mail, twitter, viber ou whatsapp. (É muita opção ainda, opa!)

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Azul

Azul é a cor mais calma. A cor que me acalma. Azul dá sensação de infinito. O amor devia ser representado por azul. Azul é paz,  serenidade, harmonia e expectativa. Esperança em dias melhores.

Os dias mais bonitos estão vestidos de azul.

Um poema de volta

te procuro
quando
está claro
quando escuro
céu repleto 
ou incompleto
te procuro
no teu samba
predileto
num obscuro
dialeto
te procuro
quando
te protejo
quando
me projeto
em teu futuro
te procuro
capto capturo
nesse poema
que rasuro
e te juro
só quando
te encontro
me curo

----------
mg6es

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Adaptar-se


O processo de adaptação é lento e difícil, mas como dizem: quem não se adapta não sobrevive.

Principalmente em dias frios, com chuva e o céu nublado.


domingo, 10 de agosto de 2014

Sabedoria em série... #23


"O segredo de ser um bom pai?

Às vezes, as coisas dão certo do jeito que a gente quer. Às vezes, não. Temos que aguentar firme. Porque, no fim das contas, 90% de ser pai é só estar presente."

Modern Family

terça-feira, 29 de julho de 2014

Sabedoria em série... #22


"Eu sempre disse que seria mais feliz sozinha. Teria meu trabalho. Meus amigos...

Há um motivo para dizer que eu seria mais feliz sozinha. Não foi porque eu pensei que seria mais feliz sozinha. Foi porque eu pensei que se eu amasse alguém, e depois acabasse, talvez eu não conseguisse sobreviver. 

É mais fácil ficar sozinho. Porque, e se você descobrir que precisa de amor e depois você não tem? E se você gostar e depender dele? E se você modelar a sua vida em torno dele e então… ele acaba? Você consegue sobreviver a essa dor? 

Perder um amor é como perder um órgão. É como morrer. A única diferença é que a morte termina. Isso? Pode continuar para sempre."


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Falta de


Falta de ar
É asma

Falta de amor
É dor

Falta de vida
É lida

Falta de zelo
É desprezo

Falta de fé
É morte


sexta-feira, 18 de julho de 2014

Click!

Fotografias são, realmente, fascinantes.

Em segundos as lembranças resgatam os nossos sentimentos. E, como em um encanto, as emoções daqueles momentos estão de volta ao presente. De repente parece que nada mudou.

Uma viagem. Um sorriso. Um eclipse. Um brinde. Um encontro. Uma lágrima. Um beijo. Um parto. Um pôr do sol. Um gol. São instantaneamente eternizados pelas lentes.

Retratos, bem verdade, são sentimentos enquadrados.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Ouvir para não ouvir

Volume máximo nos ouvidos. 

Alto para não ouvir os pensamentos, os próprios sentimentos. Barulho para não ouvir lamentos, reclames, ruídos...

Ouvir para não ouvir.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Sem fim

 Amor de verdade
a gente sabe
a gente sente
a gente vê

Amor de verdade
dá vontade
dá saudade
dá prazer

Amor de verdade
complementa
alimenta
orienta

Amor de verdade
só com você
com você
você

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Não deu, Brasil. Fica para a próxima

A Copa das Copas merecia ter sido conquistada pela seleção das seleções. E bem que podia ter sido a seleção brasileira. A canarinha poderia ter sido a tal. Afinal, é a única pentacampeã e ainda jogaria em casa. Prato cheio para o show. Show que, infelizmente, não veio em verde e amarelo. A seleção brasileira foi apenas coadjuvante.

Seleção alemã, tetracampeã mundial.

Sem desmerecer nenhuma das seleções - as quais ajudaram a fazer da Copa do Mundo do Brasil a melhor de todas -, mas a atração principal da Copa das Copas foi a Alemanha. Campeã dentro e fora dos campos.

No fim, a seleção da Alemanha não conquistou apenas o Mundial de 2014, conquistou o Brasil. Parabéns, campeões. E um abraço todo especial ao Podolski! ;)

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Esperando dias melhores


O dia seguinte é sempre o pior. É o dia de constatar que não foi sonho (pesadelo). É querer esquecer e sempre ter algo ou alguém que retome a lembrança do ocorrido. Os jornais, os amigos, a roupa suja no cesto. Tudo remete ao dia anterior.

O dia seguinte vai ser sempre o que exige mais força da gente. É o dia de seguir o "bola pra frente", mas cadê a bola? Seguir em frente no dia seguinte não é nada fácil.

Por agora tratemos apenas de levantar a cabeça. Dias melhores virão. Com certeza.

domingo, 6 de julho de 2014

in·sis·tên·ci·a


  • Insiste no chute que a bola entra.



  • Insiste na fé que a prece é atendida.



  • Insiste no amor que o romance sempre compensa.



  • Insiste no desejo que o universo conspira.



  • Insiste no que acredita porque a vida é curta.


sexta-feira, 4 de julho de 2014

Substantivo


in·sis·tên·ci·a 
(insistir + -ência)
substantivo feminino
1. Ato ou efeito de insistir. = PERSEVERANÇAPERSISTÊNCIA
2.Qualidade ou característica do que é obstinado ou teimoso.OBSTINAÇÃO,TEIMOSIA


segunda-feira, 30 de junho de 2014

Foi bom, valeu, adeus Orkut!


Anunciaram e garantiram. O Orkut vai acabar.

Em 30 de setembro de 2014 o que já foi a maior rede social da internet irá se transformar em história. Apesar de praticamente não mais acessar o site, nunca apaguei minha conta. Meu perfil continua intacto. E assim permanecerá até o sr. Orkut apagar tudo.

Foram muitas as coisas boas que aquela rede de comunidades me deu. Por exemplo, foi lá que conheci uma das minhas melhores amigas que de virtual passou a real e a best friend forever.

E, que ironia, olha a sorte do dia:




sábado, 28 de junho de 2014

Porque eu sei que é amor...


Já fui quase, já fui nunca,
Já fui jamais, já fui por pouco.
Agora posso ser SEMPRE contigo.

Fabrício Carpinejar

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Ouro de tolo


Um na garganta é muitas vezes um laço de afeto desfeito no peito. Noutras vezes, nem isso.



domingo, 22 de junho de 2014

Quociente


Cada momento de fraqueza que sobrevivo passa a ser um momento de mais força no fim das contas.

sábado, 21 de junho de 2014

Há exceção

Para tudo há prazo.

Um prazo de validade, ainda que certas vezes seja desconhecido, para cada coisa e para cada um de nós.

Para tudo há vencimento.

Exceto para os sentimentos. Sentimentos verdadeiros permanecem... Mesmo que mudem.


quarta-feira, 18 de junho de 2014

terça-feira, 17 de junho de 2014

50 anos depois, nunca foi tão difícil resistir...

Estamos cercados por políticos presos... Presos a contratos assinados com empresários milionários que acreditam ser donos do Brasil e chefes da nossa polícia - que devia apenas nos dar segurança.

Nesse ringue de todos os dias, estamos nós de um lado e o barões do outro. Estamos desarmados de armas de fogo e armados com esperança. Eles, com fogo até os dentes, mas desarmados de amor...

É uma luta cruel, desigualdade de forças e opiniões. Dificilmente o bem vence o mal nessas situações. Desistir parece mais fácil. Aceitar que fomos vencidos parece mais viável... 

Apesar dos herois da resistência que - sem armas nos punhos, mas cheios de amor no peito -, encararam os mal encarados 'cumpridores de ordens' sem medo e deram a cara a tapa e o corpo a balas de borracha, o fim aparece logo ali.


E no fim, quem ocupa não tem culpa. Quem não ocupa, também não tem. Alternativas existem, mas boa vontade parece que não. Só interesses. No meio desse jogo de interesses, a cidade precisa crescer. Utopia nossa esperar que ela cresça igualmente para todos...

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Longe, lá de longe...

O que eu desejo mesmo é poder levar todas as pessoas queridas para longe daqui.

Longe da corrupção, longe dos crimes, do trabalho quase escravo de alguns, do transporte ruim, da má vontade do atendente, dos desvios de verba pública, da discriminação, do tal 'jeitinho brasileiro'.

Pudesse eu criar outro pais, longe dessas leis que não valem nada, longe de onde o dinheiro vale mais que caráter... Tão longe que pudesse fazer todos acreditarem que é possível um mundo sem esses vermes que nos rondam.

Talvez se as crianças crescessem longe dessas barbaridades, ainda houvesse alguma chance de termos fé na humanidade. Por agora, assim como está, é difícil acreditar.

domingo, 8 de junho de 2014

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Matemática amorosa


Não é dividir de subtrair... É muito mais complexo. É somar dividindo. É adicionar tirando-se de si e doando-se ao outro. É profundo. Intenso e leve ao mesmo tempo. E é bonito, finito ou infinito, mesmo se ficar confuso.

terça-feira, 3 de junho de 2014

Because...

"When the sun shines, we'll shine together
Told you I'll be here forever
Said I'll always be a friend
Took an oath I'ma stick it out till the end"



terça-feira, 27 de maio de 2014

Regresso

É engraçado ainda manter blog 'ativo'. Passado aquele tempo 'pop', voltamos a ser como nos primórdios. Ou quase isso. São poucos textos e menos interação. Contudo, acho poética essa resistência. É bonito esse regresso.


domingo, 25 de maio de 2014

Preparar, apontar... Reparar



O que em mim te desaponta? Diz. Para que eu possa apontar. Mirar e reapontar. Aprontar o que precisa. Atar as pontas. Reparar.



quarta-feira, 23 de abril de 2014

Idas e vindas


Um aperto no coração.
O ciúme.
Uma dor.
O amor.

Segura minha mão.
Não vai agora.
Volta.
Fecha a porta.

Entra.
Senta.
Sente meu coração.
Que sensação.

A saudade.
A verdade.
A desculpa.
A reconciliação.


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Top 4 - o que menos gosto em sites

Site que atualiza sozinho.
Site com música no automático.
Site com muitas imagens piscantes.
Site com alto contraste.


quarta-feira, 2 de abril de 2014

terça-feira, 1 de abril de 2014

'Dum tipo que tem...

Que prefere as comidas crocantes. Que detesta bajulação e falta de educação. Que acha um tédio certos ativistas (de redes) sociais. Que ama filhotes (sejam crianças pequenas ou cães). Que luta para não adiar alegrias. Que não se importa para clichês. Que não entende porque para alguns é mais fácil reclamar e clamar para não lhe enviarem convites de jogos e similares em vez de, simplesmente, bloquear as solicitações. E que apesar de tudo ainda mantem o blog ativo.

sábado, 29 de março de 2014

Para manter o amor


É preciso zelo
Cuidado, dedicação e apreço

É preciso atenção 
Compreensão, paixão e respeito

É preciso amizade
Solidariedade, afeição e desejo

É preciso não precisar, 
não duvidar, não se ausentar 

É preciso calar, ver, ceder
Falar, querer, perceber 

É preciso cuidar
Abraçar, beijar, estar

Em uma relação, pra manter o amor,
É preciso amar.

sexta-feira, 21 de março de 2014

terça-feira, 18 de março de 2014

Não canso de querer

Não quero nada mudar
Quero ficar bem tranquila
E saborear essa paz

Tem um momento de calma
Eu sinto o peso ceder
O emaranhado da vida
Já desfiz sei porquê

Nada que venha de fora
Vai me fazer mais feliz
Como sentir os teus olhos
Tranquilos sobre mim

Sua doce companhia
Não canso de querer
Me sinto ressuscitada
Perto de você

(Me sinto florescer)

Sua doce companhia
Não canso de querer
Me sinto ressuscitada
Perto de você

Fico de longe esperando
A hora em que vou te ver
Em tuas mãos eu me entrego
Me rendi a você

Eu já não tenho resposta
Nem esperava encontrar
Meu coração tão cansado
Não queria sequer tentar


Doce Companhia (Dulce Compañia) - versão na voz da Fernanda Takai, ouça aqui.

sábado, 15 de março de 2014

Politicamente correto

"O 'politicamente correto' tá deixando o mundo chato"


- Se ter um pouco mais de respeito com os demais é tornar o mundo chato. Ok. Eu aceito pagar o preço da chatice.


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Quando é assim...

Apaixonar-se uma vez por dia.Apaixonar-se todos os dias.Apaixonar-se sempre.

E sempre pela mesma pessoa.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Perder pra ganhar

"Para se ter algumas coisas é preciso perder outras."


Muito difícil abrir mão do que nos faz bem, mesmo que por pouco tempo, pelo que quer que venha... Esperamos que valha a pena.


Fé.

sábado, 11 de janeiro de 2014

Tem troco?

Amar não custa nada. Geralmente é bom, macio e infinito.

Caro é querer cegamente alguém pra si.

Pode se amar qualquer um. É de graça. Não necessita nem de motivo. Ama e pronto.

Querer tirar esse amor da "clandestinidade" e tomar 'posse' da pessoa amada é o que desequilibra.

Amor, como bem se sabe, é liberdade. E liberdade custa caro. Deixar o alvo do nosso amor 'solto' exige muito.

O respeito costuma ser a principal moeda de 'troca', mas há diversas outras. Confiança, apreço, sanidade... Tudo isso, e algo mais, é cobrado. Se há reciprocidade, há negócio.

Contudo, algumas vezes o amor é mesmo solitário... O preço de amar e não receber um trocado desse amor de volta machuca um bocado. E quando é assim resta a cada um redescobrir o seu valor.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014